faça sua denúncia....
  Home  |  Matérias  |  Expediente  |  Editorial  |  Contato    
  :::  www.anticartel.com ::: 

___________________________________________________________________________________________

Ato de Concentração que aprovou a operação sofreu pedido de reexame pelo Ministério Público Federal. Por unanimidade, conselheiros rejeitaram a medida

27/08/2015 - Por unanimidade, o plenário do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou o relatório do conselheiro Márcio de Oliveira Júnior, pedindo o arquivamento do procedimento administrativo. Em 2009, o órgão antitruste havia aprovado, sem restrições, a operação de compra da Cooperativa de Transportadores de Veículos (CTV) pela Tegma Gestão Logística. Um negócio envolvendo quase R$ 150 milhões. Em 2013, o Ministério Público Federal pediu o reexame do procedimento, alegando suspeita de enganosidade na documentação apresentada que sustentou a aprovação da operação.

Em duas oportunidades, a representação do MPF junto ao Cade insistiu no andamento do procedimento, solicitando diligências a fim de comprovar a possível enganosidade, mas o conselheiro Márcio de Oliveira Júnior entendeu, na sua avaliação, que não havia motivos para a autoridade antitruste reexaminar o ato de concentração aprovado em 2009. De acordo com o conselheiro-relator, não existem elementos que possam comprovar a sugerida enganosidade. leia mais...

_______________________________________________________________________________________________

Embargos foram submetidos ao Tribunal pela conselheira relatora Ana Frazão, mas penalidades foram mantidas

10/08/2015 - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade – manteve, em sessão realizada na semana passada, decisão proferida no julgamento de cinco processos administrativos, após análise de embargos de declaração interpostos pelas partes evolvidas nos casos. Os pedidos de revisão e esclarecimento foram submetidos ao Tribunal pela conselheira relatora Ana Frazão, em sua última sessão de julgamento antes do término de seu mandato, que encerra no dia 15.

O Conselho admitiu os apontamentos dos embargantes, dando provimento parcial a alguns deles no sentido de esclarecer omissões e contradições da decisão proferida. Somente um dos embargos não foi conhecido pelo colegiado. Não houve alteração quanto às penalidades aplicadas em cada um dos casos investigados pelo órgão antitruste.  

Um dos embargos analisados é relativo à condenação da Saenge Engenharia de Saneamento e Edificações Ltda., Ônix Construções S/A (atual denominação de Concic Construções Especiais S/A) e cinco pessoas físicas por formação de cartel em procedimento licitatório realizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – Sabesp – para execução de obras na Região Metropolitana da Baixada Santista. O julgamento ocorreu em 8 de abril de 2015 e as multas somam R$ 19,6 milhões. Processo Administrativo 08012.009885/2009-21.  leia mais...

_______________________________________________________________________________________________

Dez empresas e 18 pessoas físicas estão no alvo do órgão antitruste

24/07/2015 - A Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica – Cade –, instaurou ontem (23), processo administrativo (PA 08700.008098/2014-71) para apurar supostas condutas anticompetitivas em licitações para aquisição de equipamentos e materiais de informática. Entre os equipamentos estão desktops, notebooks, tablets, lousas interativas e projetores. 

Estão sendo investigadas as empresas Caleb G. Kieling & Companhia Limitada, Enge Áudio Comércio e Sonorização Limitada-ME, I 9 Soluções em Tecnologia e Informática Limitada-ME, Líder Suprimentos para Informática Limitada, MS Equipamentos e Assistência Técnica Limitada, Multicomp Informática Limitada, Positivo Informática Sociedade Anônima, Proxyline Informática Limitada, S&V Equipamentos para Escritório Limitada, Somaq Assistência e Equipamentos Limitada, além de 18 pessoas físicas.

A investigação teve início a partir de documentos remetidos ao Cade em junho de 2014, referentes à “Operação Licitação Mapeada”, conduzida pelo Ministério Público do Estado de Santa Catarina.
 
A Superintendência apurou indícios de que a política nacional de vendas da Positivo Informática poderia gerar efeitos anticompetitivos especialmente em licitações para aquisição de equipamentos e materiais de informática. A ação incluiria uma divisão geográfica de mercado associada a um mapeamento e reserva de oportunidades, por meio da qual a Positivo concederia uma autorização para determinado revendedor participar de uma licitação e impediria que aqueles não autorizados estivessem em concorrências reservadas para outros revendedores.  leia mais...

  ::: ARTIGOS :::  
A covardia das montadoras...
   ::: SUCURSAIS :::
*Salvador (BA) *Anápolis (GO) *Belo Horizonte (MG)
*Betim (MG) *Brasília (DF) *Camaçari (BA)
*Curitiba (PR) *Goiânia (GO) *Gravataí (RS)
*Porto Alegre (RS) *Porto Real (RJ) *São Paulo (SP)
*São Bernardo do Campo (SP)  
*São José dos Pinhais (PR)  
*Rio de Janeiro (RJ) Redação - NOSSO EXPEDIENTE
Últimas Notícias
14/07/2015 -Acusado por formação de cartel, Sindicam faz greve ilegal para impedir a livre concorrência...
07/07/2015 -Superintendência do Cade investiga cartel de dispositivos de segurança para automóveis...
Veja mais notícias...
LINKS
visite nosso site...
visite nosso site...
 
Visitantes:
 
 
 
 
 
 
Copyright © ANTI-CARTEL  Contato   Expediente Designed by ANTI-CARTEL